• Daniel Olivetto

Parte da Paisagem

2016

Karin Serafin


Foto: Malu Rabelo



"Na segunda peça solo desenvolvida em parceria com Renato Turnes, a dançarina – uma das fundadoras do Cena 11 que, além de compor a diretoria, é a única intérprete a ter dançado todas as obras coreografados por Alejandro Ahmed – radicaliza os desdobramentos subjetivos que o rigoroso treinamento perceptivo da companhia catarinense lhe deu. O percurso que a artista propõe não é dança, também não é teatro e menos ainda performance. Seu poder aí reside: Karin cria uma coisa para qual ainda não há nome.


A caminhada que constitui “Parte da paisagem” convida os que a realizam – de forma direta e sem a rançosa retórica que embriaga parte da produção contemporânea – a lembrar do Rio da Bulha. Antes de ser canalizado por Hercílio Luz (1860-1924) esse rio cortava a avenida que hoje tem o nome do antigo governador do Estado. Sucede que este ponto de partida – uma transformação urbana de larga escala levada a cabo pelo poder executivo – é ponto de partida para uma verdadeira cartografia sentimental (numa acidental práxis do pensamento de Suely Rolnik) do centro antigo.


Quando se pensa no imenso aterro que afastou do centro o mar justaposto ao atual e precário transporte público da cidade se identifica um projeto higienizador de longo prazo disfarçado de melhoria na qualidade de vida e aposta no potencial turístico da paradisíaca terra que chamamos de casa. O que o cirúrgico pensamento em dança de Karin faz é dar a ver as arquitetônicas mobilidades urbanas coreografadas ao longo das últimas décadas. Nelas se incluem os locais destinados à moradia de ricos (beira-mar) e de pobres (morros), a espera da queda dos imóveis de arquitetura açoriana adquiridos pelos protagonistas da especulação imobiliária e o recentemente revertido – principalmente pela ação dos artistas – esquecimento do espaço público como lugar de revolta e festejo. A agenda urbanista, no entanto, se dá a ver não só em dados verificáveis, mas nas frestas afetivas que são alargadas nas histórias pessoais, de moradores e de passantes. Uma cidade – afinal de contas – constitui pessoas ao mesmo tempo em que por elas é concebida."


Anderson do Carmo ¹


1 In: https://ndmais.com.br/entretenimento/critica-karin-serafin-enlaca-poesia-e-politica-ao-devolver-nossa-propria-historia/

0 visualização

©2019 por Ações para Reexistir.